3 dicas para escolher o modelo de lareira perfeito para sua casa

Pura tendência, peças metálicas suspensas ganham cada vez mais adeptos. Confira alguns cuidados que devem ser tomados ao escolher o modelo para sua casa

Design contemporâneo

 (Gui Morelli/Divulgação)

O desejo de ter uma lareira suspensa acompanha a dona desta casa em São Paulo desde quando se hospedou em um hotel no sul da França. “Este modelo, que funciona a lenha e é de ferro fundido, foi trazido da Europa e se tornou a atração da área social”, explica o designer de interiores Bruno Carvalho, autor do projeto. Para receber a peça de 60 kg, a laje teve a estrutura reforçada – ela ainda esconde a tubulação metálica que leva a fumaça embora. O desenho desse tipo de peça tem feito sucesso no Brasil e várias empresas oferecem opções semelhantes a lenha e a etanol. “As versões que funcionam com biofluido à base de álcool de cereais são apreciadas por serem práticas e ecológicas”, afirma Bruno.

Em casa
Além daquelas a álcool, existem as lareiras a gás (que exigem tubulação própria e saída do gás) e à lenha (que pedem um duto para a fumaça). “Os modelos que queimam madeira exalam um cheiro agradável, no entanto requerem chaminé, o que costuma resultar em obra”, explica Cristiane Cassab, da Construflama.

Em apartamento
Pode-se optar pelas versões a gás (desde que se prevejam tubulação específica e chaminé ou respiro) e a álcool em gel ou biofluido (esta muito usada em apartamentos porque dispensa qualquer tipo de saída dos resíduos da queima). “O fator determinante é a instalação fácil: basta embutir a peça em um nicho ou móvel com revestimento resistente ao calor”, diz o arquiteto Gabriel de Lucca.

Atenção à chaminé
Bem dimensionada, ela garante a eficiência da lareira. Na alternativa a gás, um duto com 20 cm de diâmetro é suficiente para a saída dos gases produzidos, segundo Marcio Gemignani, da Largrill. “Modelos à lenha com até 90 cm de largura pedem duto também de 20 cm de diâmetro. Caso tenham de 1 a 1,30 m, a medida sobe para 25 cm de diâmetro”, exemplifica. As curvas podem ter, no máximo, 45 graus.

 

Máximo alcance

 (Andre Nazareth/Divulgação)

Instalada na sala de estar, perto da área externa, a peça giratória de aço pintado consegue aquecer quem está nos dois ambientes da residência em São Paulo. “Tivemos que abrir um furo na laje e fazer um pequeno reforço estrutural com a orientação de um engenheiro calculista”, explica a arquiteta Alessandra Riera, sócia da RAP Arquitetura e Interiores. “A lareira consegue manter quentes até 350 m³”, complementa. Optou-se pelo modelo importado Gyrofocus, da marca francesa Focus, que tem similares nacionais com o mesmo ar retrô.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s