Construção brasileira recebe certificação sustentável internacional

O projeto tem assinatura do arquiteto e doutor em habitações indígenas José Afonso Botura Portocarrero

O prédio do Centro Sebrae de Sustentabilidade, em Cuiabá, venceu em Londres, em março, o prêmio do sistema internacional de certificação BREEAM como Melhor Edifício Sustentável em Uso das Américas e Melhor Construção Sustentável pelo voto popular.
Erguido há oito anos, o edifício de cerca de 1 000 m² sobressai por se inspirar nas técnicas dos povos do Xingu para promover conforto térmico e iluminação natural.

Pouso leve: A topografia do terreno de 2 050 m² foi preservada, gerando uma área de convivência com vegetação da região e bancos dispostos circularmente, como numa aldeia.

Pouso leve: A topografia do terreno de 2 050 m² foi preservada, gerando uma área de convivência com vegetação da região e bancos dispostos circularmente, como numa aldeia. (Divulgação/Divulgação)

As duas cascas de concreto da cobertura – um desenho ogival que lembra uma oca xinguana – estão a 40 cm de altura uma da outra, criando um colchão de ar que reduz a entrada de calor e recebe a água da chuva (armazenada em cisternas), o que torna o sistema de resfriamento passivo mais eficiente. O prédio principal, de 10 x 30 m, tem pé-direito de 7,50 m e brises metálicos que diminuem a incidência direta de sol sem bloquear a claridade.

Em curva: Aerodinâmico, o desenho do edifício conduz o ar quente para a parte mais alta, mantendo a temperatura interna amena para os usuários, assim como reduz a ação dos ventos fortes em até 30%.

Em curva: Aerodinâmico, o desenho do edifício conduz o ar quente para a parte mais alta, mantendo a temperatura interna amena para os usuários, assim como reduz a ação dos ventos fortes em até 30%. (Divulgação/Divulgação)

“O prêmio trouxe reconhecimento às tecnologias indígenas. Por equívoco, deixamos de olhar para elas por considerar um desenho ultrapassado”, diz o autor do projeto, José Afonso Botura Portocarrero, arquiteto e doutor em habitações indígenas.

Acionamento manual: Nas quatro faces do prédio, brises de chapa de aço perfurada controlam o calor sem inibir a luz. São 40 peças horizontais e dez verticais (fabricação da AçoBett).

Acionamento manual: Nas quatro faces do prédio, brises de chapa de aço perfurada controlam o calor sem inibir a luz. São 40 peças horizontais e dez verticais (fabricação da AçoBett). (Divulgação/Divulgação)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s