Tira-dúvidas da obra: como usar chapa perfurada no projeto?

Selecionamos três propostas para você se inspirar

São muitas as possibilidades de uso desse tipo de lâmina metálica. Esmiuçamos os detalhes construtivos de três delas nesta reportagem.

1.Guarda-corpo

Quando chegou o momento de definir como arrematar a escada de sua própria casa, a arquiteta Chantal Ficarelli, sócia do irmão no escritório Arkitito, deixou a praticidade falar mais alto.

“A chapa perfurada combina de uma só vez privacidade e visibilidade. Dependendo do ponto de vista do observador, ela parece uma placa sólida ou quase um véu”, fala a profissional.

“Gosto do material porque, além de ter preço atraente, ele adquire personalidade com uma boa pintura”, diz a arquiteta. (Divulgação/Vivi Spaco)

Leia também: Tela metálica decora e organiza a sala

Aqui, seu modelo favorito – o de furos redondos bem miúdos – ganhou moldura de aço e pintura no tom preto fosco antes da instalação, executada pela Serralheria Metalcema.

O desenho da peça aproveita o formato das chapas – 90 x 150 cm e furos de 6 mm – e só começa a agir como proteção para as pisadas a partir do terceiro degrau. (Divulgação/Vivi Spaco)

Em nome de um acabamento perfeito, a tinta foi aplicada com pistola, impedindo seu acúmulo nos furos. Outra vantagem do modelo assinado por Chantal: como não há vãos entre a folha metálica e a moldura, as crianças não encontram apoio para aventuras e ficam longe de acidentes.

Olho no detalhe!

2.Marquise 

É quase como tapar o sol com a peneira, mas no melhor sentido da expressão. “Esta cobertura deixa o ar circular, franqueia a passagem da claridade e interfere pouco na vista”, conta o arquiteto André Becker, do escritório ABPA.

Anteparo diminui a incidência de sol sem fazer muita sombra (Divulgação/Eduardo Pozella)

A lâmina metálica escolhida para o projeto possui textura discreta, resultante do método de fabricação: a chapa expandida passa por um processo que envolve corte e tensionamento simultâneos, criando padrões uniformes úteis a inúmeros
usos na construção.

Vista pelo lado de dentro da casa, a peça parece flutuar. (Divulgação/Eduardo Pozella)

Leia também: 4 achados para a casa em Belo Horizonte

Aqui, outra característica fez com que o material desbancasse seus concorrentes. Graças ao tratamento galvanizado, ele resiste melhor ao clima litorâneo, farto em maresia.

O efeito acontece porque há apenas dois pontos de sustentação: prova de que a cobertura é leve, apesar da grande extensão. Trabalho executado por Carlos Augusto Stefani. (Divulgação/Eduardo Pozella)

“A pintura com esmalte sintético aplicada com pistola proporciona mais uma camada de proteção, além de contribuir para a beleza da estrutura”, finaliza André.

Medindo 2,40 x 7,10 m, a marquise acompanha a largura da casa. Esse intervalo é preenchido por nove chapas de 77 x 230 cm. Para dar conta da sustentação, dois tirantes de aço se apoiam numa viga de concreto da fachada. (Ilustração/Campoy Estúdio)

3.Divisória

Ao reformar apartamentos pequenos, o melhor é tirar paredes em vez de acrescentar, certo? O arquiteto José Guilherme Carceles, sócio de Diogo Luz no escritório Casa 100 Arquitetura, também pensava assim até planejar as mudanças deste imóvel de 40 metros quadrados.

Pintura em tom claro acentua sensação de leveza da estrutura. (Divulgação/Quadra 2)

Os moradores pediram um local separado para os armários, e incluir a divisória de chapa perfurada foi o jeito de realizar o desejo sem incorrer em excessos visuais.

A presença maciça do pínus, usado para dar unidade aos revestimentos, não concorre com a chapa perfurada da divisória. (Divulgação/Quadra 2)

“A leveza do material deixou o closet aparente e poupou o restante do ambiente de interferências”, avalia o arquiteto. No desenho feito pela dupla, as abas nas laterais funcionam como portas – não há maçanetas ou puxadores porque o fechamento usa ímãs.

Apesar da proximidade com o tom natural das placas metálicas, elas foram cobertas com o mesmo cinza visto na marcenaria do apartamento.

A estrutura também se prende ao piso por meio de parafusos. Criada  especialmente para este projeto, a folha fixa central mede 1,20 x 1,95 m. As abas móveis contam com 61 x 2,60 m – embora estreitas, são confortáveis para uso doméstico. As chapas, finíssimas, têm apenas 2 mm de espessura. (Ilustração/Campoy Estúdio)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s