Tira-dúvidas da obra: como captar luz natural pela cobertura?

Analisamos os sistemas mais utilizados de iluminação zenital, método que aproveita a claridade externa vinda de cima

Requisitada para suprir a insuficiência de luz que chega pelas janelas, a iluminação zenital costuma ser uma boa solução para ambientes profundos e espaçosos, assim como para atender a áreas específicas, como jardins internos. O objetivo é simples: permitir a entrada de claridade por meio de aberturas ou fendas na cobertura. 

Para isso, pode-se simplesmente utilizar telhas transparentes ou blocos de vidro inseridos na laje. Outras possibilidades empregadas em residências são o domo (cúpula), que tem formato de abóbada, e a claraboia, plana ou inclinada, com uma ou várias águas. 

Cheio de luz e bem ventilado, este sobrado foi dotado de soluções engenhosas pensadas pelos arquitetos Marina Mange Grinover e Sergio Kipnis. A claraboia que inunda a sala de claridade é uma delas. (Foto: Evelyn Müller)

Posicionada no alto da sala, a 6 m do piso, a claraboia de 15 m² pode ter metade de sua superfície aberta por motor elétrico convencional. A estrutura foi executada com perfis de alumínio que apoiam folhas de vidro temperado de 1 cm de espessura. (Foto: Evelyn Müller)

A queda no consumo e no valor da conta de luz é um dos destaques de projetos bem executados. Para garantir eficiência energética e qualidade ambiental nesse tipo de proposta, o arquiteto deve avaliar a situação de sombreamento da edificação (altura dos prédios vizinhos e de outros obstáculos) e a interferência de elementos da própria construção (inclinação do telhado ou da laje, poço de iluminação etc.).

Dependendo da região e da obra, é preciso controlar o excesso de calor, a fim de manter o conforto térmico, e nivelar a quantidade e a qualidade da iluminação. Atenção: tanto o domo quanto a claraboia demandam uma saliência vertical feita na alvenaria para serem assentados, bem como cuidado com a impermeabilização e limpezas periódicas. Abaixo, um comparativo entre ambos.

O mosaico de vidro é realçado pela iluminação vinda do domo na proposta assinada pelo escritório Nitsche Arquitetos. (Foto: Victor Affaro)

Prós e contras

Confira as diferenças entre duas formas de captar luz pela cobertura. É importante consultar um especialista, capaz de analisar seu projeto de acordo com a região e o tipo de construção

Domo

Materiais – cúpula de acrílico e estrutura de alumínio anodizado.

Características – baixa resistência a impactos, vida útil de curta a média duração (depende da incidência direta dos raios solares e do tipo de acrílico), inflamável, fácil de instalar, vendido pronto em lojas de construção, dimensões pré-fabricadas.

Claraboia

Materiais – fechamento de vidro laminado de 8 mm (4 + 4 mm) e estrutura feita com perfil fachadeiro de alumínio.

Características – alta resistência a impactos, vida útil de média a longa duração (depende da manutenção do sistema), não inflamável, instalação por profissional habilitado, deve ser encomendada a empresas especializadas em fachada ou em caixilhos de alumínio, dimensões definidas em projeto.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. i5 Publicidade

    Bem explicativo.

    Bem explicativo.

    http://www.npportoes.com.br

    Curtir