Residência paulista é inspirada na casa de Ray e Charles Eames

A casa dos designers foi o ponto de partida para este projeto com espaços generosos, materiais básicos e extensos panos de vidro voltados para o verde

O ano de 2010 foi marcante para o empresário Tomás Cunzolo: ele se casou com a artista Rachel Hoshino, viajou à Califórnia na lua de mel e comprou o terreno para erguer a casa dos sonhos na Granja Viana, distrito a 22 km da capital paulista. Num acaso do destino, visitou, nesse mesmo período, o premiado arquiteto Paulo Mendes da Rocha a convite de amigos.

Erguida sobre fundação de estacas devido ao solo arenoso, a casa com estrutura de aço (Eleve Engenharia) apoiada sobre laje de concreto ocupa apenas 440 m² dos 2,5 mil m² da área total do lote.

Erguida sobre fundação de estacas devido ao solo arenoso, a casa com estrutura de aço (Eleve Engenharia) apoiada sobre laje de concreto ocupa apenas 440 m² dos 2,5 mil m² da área total do lote. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

“Aproveitei a chance e pedi sugestões de nomes a ele, que me recomendou dois ex-alunos”, conta. Eram Vinicius de Andrade e Marcelo Morettin, vencedores, em 2011, do concurso para o projeto do centro cultural Instituto Moreira Salles (IMS), em São Paulo, inaugurado em setembro deste ano. Tomás descobriu que os dois tinham repertório de casas pavilhão, como ele e Rachel desejavam construir.

Passarelas orientam a circulação: a do piso de cima, metálica, interliga a garagem ao corredor dos quartos; a do térreo, de deck de cumaru, leva à entrada principal. Dentro ou fora, as escadas seguem o padrão industrial da arquitetura: corpo de aço e pisada de madeira.

Passarelas orientam a circulação: a do piso de cima, metálica, interliga a garagem ao corredor dos quartos; a do térreo, de deck de cumaru, leva à entrada principal. Dentro ou fora, as escadas seguem o padrão industrial da arquitetura: corpo de aço e pisada de madeira. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

A ideia de criar um espaço amplo e único, tal qual a casa de Ray (1912-1988) e Charles Eames (1907-1978), em Santa Mônica, em Los Angeles, nos fascinava, uma obra que prioriza a integração mais do que o individualismo”, afirma Rachel. A proposta seguiu adiante, respeitando essas premissas e enfatizando as áreas de convivência – os quartos, de tamanhos menores, serviriam só para dormir.

A sala com pé-direito de 5,50 m incorpora o corredor da área íntima. No forro com longarinas (vigas) aparentes, foram aplicados painéis de compensado naval. Já o piso exibe réguas de cumaru (Zanchet Madeiras). Tapete da By Kamy, poltrona da Vitra e pufes da Ovo.

A sala com pé-direito de 5,50 m incorpora o corredor da área íntima. No forro com longarinas (vigas) aparentes, foram aplicados painéis de compensado naval. Já o piso exibe réguas de cumaru (Zanchet Madeiras). Tapete da By Kamy, poltrona da Vitra e pufes da Ovo. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

 

No andar superior, têm-se esta visão do corredor do escritório e dos três quartos – ao fundo, a suíte de casal. Aqui, as paredes são todas feitas de drywall. 

No andar superior, têm-se esta visão do corredor do escritório e dos três quartos – ao fundo, a suíte de casal. Aqui, as paredes são todas feitas de drywall.  (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

A construção metálica ofereceu vantagens: obra seca com paredes de drywall, agilidade na montagem, menos impacto e desperdício. “Utilizamos apenas duas caçambas para o entulho”, relembra. Nem tudo, porém, saiu a contento. “Essa arquitetura ainda é experimental no Brasil, com pouca mão de obra qualificada. Tive problema para encontrar fornecedores.”

Sobre a mesa de jantar, a luminária japonesa de papel relembra o modelo visto na casa de Charles e Ray Eames, erguida em 1949, na Califórnia. As cadeiras preta e branca (Isto É Brasil Thonart) têm desenho dos norte-americanos. Divididos em três partes, os panos de vidro se retraem para integrar o estar ao pátio lateral, com 90 m². Em razão da umidade, o deck de cumaru (Zanchet Madeiras) permanece 25 cm elevado do solo. Esquadrias de alumínio (Zeloart) mantidas no tom original, tratadas apenas contra ferrugem.

Sobre a mesa de jantar, a luminária japonesa de papel relembra o modelo visto na casa de Charles e Ray Eames, erguida em 1949, na Califórnia. As cadeiras preta e branca (Isto É Brasil Thonart) têm desenho dos norte-americanos. Divididos em três partes, os panos de vidro se retraem para integrar o estar ao pátio lateral, com 90 m². Em razão da umidade, o deck de cumaru (Zanchet Madeiras) permanece 25 cm elevado do solo. Esquadrias de alumínio (Zeloart) mantidas no tom original, tratadas apenas contra ferrugem. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

Prolongada além do bloco central de 180 m², a cobertura metálica define nas extremidades a garagem e o pátio de 90 m². “Pensamos esses pontos de transição para dar chance aos moradores de descobrirem, com o tempo, seus usos”, afirma Vinicius, sócio de Marcelo Morettin no Andrade Morettin Arquitetos.

Com jeito de galpão, a casa reúne materiais simples. A cobertura, levemente inclinada para escoar a água da chuva pela calha central, emprega telhas sanduíche de aço galvanizado (Ananda), com propriedades termoacústicas. O vão de 75 cm entre ela e o bloco interno garante a ventilação cruzada. Temperado e com 6 mm, o vidro repete o mesmo tamanho nas duas alturas (painéis de 1,20 x 2,30 m). Chapas de compensado naval revestem as faces da casa expostas ao tempo, proporcionando isolamento térmico e quebrando a frieza do metal.

Com jeito de galpão, a casa reúne materiais simples. A cobertura, levemente inclinada para escoar a água da chuva pela calha central, emprega telhas sanduíche de aço galvanizado (Ananda), com propriedades termoacústicas. O vão de 75 cm entre ela e o bloco interno garante a ventilação cruzada. Temperado e com 6 mm, o vidro repete o mesmo tamanho nas duas alturas (painéis de 1,20 x 2,30 m). Chapas de compensado naval revestem as faces da casa expostas ao tempo, proporcionando isolamento térmico e quebrando a frieza do metal. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

 

 O pórtico de telhas de aço, aberto de ambos os lados, oferece sombra e proteção da chuva sem interromper a passagem do vento.  A coluna, também de aço, compõe o esqueleto de sustentação da casa. Plantados a poucos metros da morada, os ipês-amarelos proporcionarão sombra à sala. No pátio, onde foi comemorado o aniversário de 4 anos de Davi, criou-se outro ambiente de estar: poltrona Isto É Brasil Thonart, carrinho com rodas de bicicleta Dona Filipa, almofadões Codex Home. As banquetas Eames Elephant são da Vitra.

 O pórtico de telhas de aço, aberto de ambos os lados, oferece sombra e proteção da chuva sem interromper a passagem do vento.  A coluna, também de aço, compõe o esqueleto de sustentação da casa. Plantados a poucos metros da morada, os ipês-amarelos proporcionarão sombra à sala. No pátio, onde foi comemorado o aniversário de 4 anos de Davi, criou-se outro ambiente de estar: poltrona Isto É Brasil Thonart, carrinho com rodas de bicicleta Dona Filipa, almofadões Codex Home. As banquetas Eames Elephant são da Vitra. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

Transparente e ainda sem vegetação, a residência causou certo desconforto logo após a mudança. “Os três primeiros dias foram difíceis, mas, curiosamente, essa transparência acabou nos deixando seguros porque enxergamos tudo em volta”, diz Tomás.

O patamar mais alto do lote, com acesso à rua, abriga a garagem e a entrada da área íntima. Na parte inferior, ficam os espaços sociais.

O patamar mais alto do lote, com acesso à rua, abriga a garagem e a entrada da área íntima. Na parte inferior, ficam os espaços sociais. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

 

Com 39 m2, o bloco de serviço – lavanderia, varal e suíte – permanece isolado da casa principal. Essa é a única área em que se empregou construção de alvenaria, diferenciando os usos.

Com 39 m2, o bloco de serviço – lavanderia, varal e suíte – permanece isolado da casa principal. Essa é a única área em que se empregou construção de alvenaria, diferenciando os usos. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

 

O ateliê de Rachel tem o fundo apoiado no muro de contenção, erguido para compensar o declive de 3 m do terreno. De sistema construtivo igual ao da casa, este bloco foi projetado com entrada independente pela rua.

O ateliê de Rachel tem o fundo apoiado no muro de contenção, erguido para compensar o declive de 3 m do terreno. De sistema construtivo igual ao da casa, este bloco foi projetado com entrada independente pela rua. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

A expectativa é de que as árvores cresçam para amenizar a incidência do sol. “As copas se interligarão à cobertura, formando um único platô. Daqui há algum tempo, eles se sentarão na sala com a sensação de estarem no meio da mata”, prevê o arquiteto.

Ao cair da tarde, a casa ganha atmosfera mágica com a discreta iluminação planejada por Rene Heder Filho. As luminárias são da Reka. Repare que a estrutura metálica repousa sobre pilotis de concreto, que parecem aflorar do piso.

Ao cair da tarde, a casa ganha atmosfera mágica com a discreta iluminação planejada por Rene Heder Filho. As luminárias são da Reka. Repare que a estrutura metálica repousa sobre pilotis de concreto, que parecem aflorar do piso. (Cacá Bratke/Cacá Bratke)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s