Moderna, casa de madeira tem materiais inovadores e teto verde

A vila de Trancoso, na Bahia, será para sempre o local onde o arquiteto paulistano André Luque conseguiu concretizar três aspirações em um mesmo projeto

“Estou louco para ir lá com os meninos e ver como eles vão usar a casa”, contou o arquiteto André Luque, na expectativa de visitar, junto com a família, o projeto assinado por ele, em Trancoso. O caçula nasceu num intervalo da obra, em 2015, enquanto o filho mais velho, de 4 anos, precedeu em alguns meses a primeira visita de André ao vilarejo baiano – fascinado pelo lugar, ele retornou a São Paulo com um terreno na mala.

Uma passarela de cumaru (protegida com Osmocolor, da Montana Química) conduz à entrada, elevada 30 cm em relação à rua para assegurar o pé-direito de 2,60 m ao redário,no pavimento inferior.

Uma passarela de cumaru (protegida com Osmocolor, da Montana Química) conduz à entrada, elevada 30 cm em relação à rua para assegurar o pé-direito de 2,60 m ao redário,no pavimento inferior. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

E olha que a viagem era apenas para assessorar um cliente. “No dia de ir embora, perguntei ao corretor se ele não teria uma mosca branca para mim. E ele falou: ‘Tenho. É um lote que só agrada a arquitetos, porque tem muitas árvores e é inclinado’.” Ao percorrer o endereço e filmá-lo, André já foi traçando mentalmente o projeto.

À esquerda (na foto) desse ambiente entre pilotis localiza-se a suíte principal, enquanto os quartos de hóspedes surgem à direita (na foto), estendendo-se em direção à mata.

À esquerda (na foto) desse ambiente entre pilotis localiza-se a suíte principal, enquanto os quartos de hóspedes surgem à direita (na foto), estendendo-se em direção à mata. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

“Enviei as imagens para o meu irmão e telefonei na mesma hora: ‘Lembra daquela ideia de erguer casas de arquitetura autoral para depois vendê-las? Topa começar agora?’.” Em parceria também com o pai, eles deram a largada ao intento. André planejou a edificação como se fosse para si: contemporânea, com estrutura de madeira laminada colada e tetos gramados convidando ao lazer.

Balançar na rede sentindo a brisa que percorre o terreno é tudo o que se deseja fazer neste delicioso redário abraçado por vedélias, costelas-de-adão, mapuás, marantas-verdes e singônios-verde-escuro plantados no talude da fachada e sob a escada interna que conduz à sala.

Balançar na rede sentindo a brisa que percorre o terreno é tudo o que se deseja fazer neste delicioso redário abraçado por vedélias, costelas-de-adão, mapuás, marantas-verdes e singônios-verde-escuro plantados no talude da fachada e sob a escada interna que conduz à sala. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

Ou, explicando de outro modo, um imóvel de alto padrão com seis suítes e uma generosa parte social conectada à piscina e ao terraço da churrasqueira, o qual nada mais é do que a cobertura plana sobre o bloco dos quartos. Ou, ainda, uma construção em L inserida no declive original para aproveitar a vista e a brisa vinda sempre da rua para os fundos.

Da entrada, a paisagem se escancara através das portas de vidro temperado livres de caixilhos em contraponto com a fachada principal quase vedada. “A visão de tantas árvores causa um impacto incrível”, afirma André. Com prainha e pastilhas de 5 x 5 cm (Cerâmica Atlas), a piscina – que parece transbordar no verde – só reforça a surpresa.

Da entrada, a paisagem se escancara através das portas de vidro temperado livres de caixilhos em contraponto com a fachada principal quase vedada. “A visão de tantas árvores causa um impacto incrível”, afirma André. Com prainha e pastilhas de 5 x 5 cm (Cerâmica Atlas), a piscina – que parece transbordar no verde – só reforça a surpresa. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

Após os sócios aprovarem o projeto arquitetônico, veio o alerta do condomínio:  ao contrário dos lotes vizinhos com recuo traseiro de 6 m, neste eram exigidos 24 m. “Ali atrás existe uma APP, área de preservação permanente, o que reduziu a metragem disponível a 30% dos 1 700 m2 adquiridos”, justifica André.

Tanto a ala social quanto o bloco dos quartos são cobertos por gramadões. “Isso transforma os 229 m² de cobertura em áreas extras de lazer, onde a gente pode fazer um churrasco e as crianças correr e brincar”, aponta o arquiteto.

Tanto a ala social quanto o bloco dos quartos são cobertos por gramadões. “Isso transforma os 229 m² de cobertura em áreas extras de lazer, onde a gente pode fazer um churrasco e as crianças correr e brincar”, aponta o arquiteto. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

E continua: “Mexi novamente na proposta e aproximei a casa da rua. E concluí que, qualquer que fosse o elemento vazado adotado na fachada – até então o material estava indefinido –, a trama precisaria ser bem fechada a fim de manter a privacidade”.

A implantação fez bom uso das qualidades do lote e se adaptou às restrições por ele impostas: a inclinação natural acomoda os diferentes níveis, presenteando a todos com a visão da mata, a fachada recebe o vento nordeste e as suítes de hóspedes abrem-se ao sol da manhã.

A implantação fez bom uso das qualidades do lote e se adaptou às restrições por ele impostas: a inclinação natural acomoda os diferentes níveis, presenteando a todos com a visão da mata, a fachada recebe o vento nordeste e as suítes de hóspedes abrem-se ao sol da manhã. (Campoy Estúdio/Divulgação)

 

A solução surgiu quando o arquiteto descobriu chapas de partículas de madeira e cimento importadas de Portugal. O produto pode ser recortado e marcado em baixo-relevo em uma máquina computadorizada. “Eu fiz o desenho, pensando nas rendas brasileiras, e meu marceneiro preparou os painéis após protótipos de MDF como teste.”

Com desenho vazado e impressões em baixo-relevo, as portas pivotantes (na frente, na foto) – feitas das mesmas folhas de Viroc de 19 mm de espessura (CFS Consulting) da fachada – dão acesso ao ambiente social, com cozinha aberta. Placas recortadas pela marcenaria Ato Furniture.

Com desenho vazado e impressões em baixo-relevo, as portas pivotantes (na frente, na foto) – feitas das mesmas folhas de Viroc de 19 mm de espessura (CFS Consulting) da fachada – dão acesso ao ambiente social, com cozinha aberta. Placas recortadas pela marcenaria Ato Furniture. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

“Acompanhei a instalação, que durou uma semana.” André só viu vantagens na escolha: “Consegui fazer até portas pivotantes e folhas de correr. O material é pouca coisa mais caro do que o cobogó e dispensa manutenção”.

Apesar de instalado, o ar-condicionado é luxo dispensável nos quartos, segundo o arquiteto, e mais ainda na suíte principal. Afinal, ela não apenas fica sob a piscina como pode receber ventilação através dos painéis de muxarabi.

Apesar de instalado, o ar-condicionado é luxo dispensável nos quartos, segundo o arquiteto, e mais ainda na suíte principal. Afinal, ela não apenas fica sob a piscina como pode receber ventilação através dos painéis de muxarabi. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

Mensalmente, o arquiteto tomava um avião para conferir o andamento dos trabalhos e, nos últimos meses, passou a se hospedar no local.

dois chuveiros Acqua Plus (Deca) e uma banheira (Vallvé) integram o banheiro do casal, com paredes com azulejos de 10 x 30 cm (Linear White, da Eliane) e piso de cimento e deck. O forro é de talisca de dendê (Fibra Nativa), trama típica da região.

dois chuveiros Acqua Plus (Deca) e uma banheira (Vallvé) integram o banheiro do casal, com paredes com azulejos de 10 x 30 cm (Linear White, da Eliane) e piso de cimento e deck. O forro é de talisca de dendê (Fibra Nativa), trama típica da região. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

 

“Foi perfeito: reduzimos nossas despesas e eu ainda pus à prova os quartos e banheiros, pedindo a correção de itens que não funcionavam.” Agora é desfrutar do belo endereço antes que ele seja vendido ou alugado.

À noite, a iluminação inteiramente de led realça os degraus revestidos de fulgê, o desenho dos muxarabis e o branco da pintura aplicada nas placas de Painel Wall (Eternit) que cobrem o térreo e se estendem formando o beiral.

À noite, a iluminação inteiramente de led realça os degraus revestidos de fulgê, o desenho dos muxarabis e o branco da pintura aplicada nas placas de Painel Wall (Eternit) que cobrem o térreo e se estendem formando o beiral. (Leonardo Finotti/Leonardo Finotti)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s