De portas abertas: reforma integra casa ao jardim

Demolidas as paredes e rasgados os vãos, esta residência térrea no interior de São Paulo desabrochou para o terreno verde

Faça chuva ou faça sol, as portas desta casa de 250 metros quadrados em Campinas, SP, estão sempre abertas. A expressão popular, que no sentido figurado traduz apropriadamente o gosto dos proprietários por receber, também cabe, se adotada uma interpretação mais literal, para resumir o projeto.

A começar das generosas esquadrias, recolhidas tanto em dias ensolarados quanto de aguaceiro, deixando livre a passagem para o quintal e franqueando o visual da natureza.

Criação do arquiteto, as pisadas circulares de pedra portuguesa conectam a residência à churrasqueira. (Divulgação/Cacá Bratke)

Desfrutar plenamente da área externa, afinal, era parte importante dos desejos do casal (mais um dos filhos) ao procurar o arquiteto Vasco Lopes em 2015 e encarregá-lo da atualização da residência.

Integrar os ambientes sociais, sobretudo a cozinha, e encher a morada de luz natural também constavam da lista de prioridades pensada pelos clientes para transformar o imóvel, descaracterizado após 30 anos e várias reformas, até chegar à versão envelhecida e compartimentada na qual se encontrava.

O tapete de ladrilho hidráulico (Dalle Piagge) embeleza o cimentado (Mr Cryl, da Bricolagem) da área social. Impermeabilizados com verniz PU fosco, os dois pisos ganharam manutenção prática. (Divulgação/Cacá Bratke)

Na obra, que durou cerca de um ano e foi acompanhada pelo arquiteto, uma das principais intervenções foi a demolição de paredes nos dois blocos existentes – o principal e o anexo – em nome da união dos espaços.

Mas o novo layout com cozinha, sala de jantar e estar em sequência exigiu reforços na estrutura. Entraram em cena, então, vigas e pilares metálicos, depois pintados de marrom-chocolate. “Além de funcionais, esses perfis colaboraram com a estética da casa”, diz Vasco.

De concreto, o Cobogó Golubov (30 x 30 x 9 cm, da Premoldado Brasil) aparece na entrada e nas divisórias internas, garantindo privacidade, passagem de luz e ventilação aos ambientes. (Divulgação/Cacá Bratke)

Rasgados os vãos e garantida a iluminação abundante e a conexão com o exterior, passou-se ao desenho de caixilhos discretos. “Todas as esquadrias de ferro ou alumínio foram substituídas por outras de cumaru, possibilitando uniformidade visual”, afirma Vasco.

Na área externa, a bancada de concreto (0,60 x 4 m) serve de apoio aos convidados, que podem interagir com o anfitrião enquanto ele prepara quitutes na cozinha, lá dentro. (Divulgação/Cacá Bratke)

“Os moradores gostam de design e materiais naturais. Por isso, a madeira, o concreto e o aço estão muito presentes”, acrescenta. Acabamentos que brincam com cores e formas, como os cobogós, os ladrilhos hidráulicos e a pedra portuguesa assentada em círculos, ainda reforçaram a atmosfera lúdica e retrô.

No frontão da churrasqueira há outros exemplares fabricados pela mesma Dalle Piagge. (Divulgação/Cacá Bratke)

Por fim, a antiga edícula recebeu a devida atenção. A demolição da parte frontal converteu o anexo de 80 metros quadrados em um agradável terraço com churrasqueira e vista para a piscina.

A cobertura com desenho fluido foi herdada e mantida na reforma. Escondidas pela platibanda, telhas metálicas térmicas protegem a laje de infiltrações. Foram instaladas com uma discreta inclinação, assim a água da chuva é direcionada para a calha e escoada pelo lado externo da construção por meio de condutores de chapa galvanizada. “Foi preciso refazê-los, pois os canos originais estavam entupidos”, conta o arquiteto. (Divulgação/Cacá Bratke)

Nos fundos desse bloco, surgiu uma biblioteca voltada ao jardim. E assim, mais uma vez, o ditado revelou-se oportuno: é ali, junto à frondosa sibipiruna, que os moradores se sentam e desfrutam de uma boa leitura, faça chuva ou faça sol.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s