Casa de mil m² em Ibiza é um paraíso de relax

De um lado, paredes sem janelas – como manda a arquitetura vernacular local – do outro, painéis de vidro escancaram a paisagem vasta e azul mediterrâneo

Um arquiteto, mesmo o mais sonhador, não conseguiria imaginar presente tão perfeito quanto o que caiu nas mãos do espanhol Fernando de Castro Tornero. Ele foi chamado para projetar uma casa de quase mil m² diante do mar na Ilha de Ibiza – e não constavam da proposta restrições de orçamento. Deveria ser um imóvel de luxo, feito para uso próprio e aluguel durante a alta temporada.

Com um chamativo círculo vazado, a lareira inclui base de alvenaria e corpo revestido de aço corten. A peça tem valor sobretudo escultórico, pois embora no inverno a água do mar esfrie, as temperaturas na ilha raramente caem abaixo de 10°C. Ao fundo, o quadro azul foi pintado pela proprietária (assim como todas as demais telas) especialmente para a casa. (Francesco Bollis/Francesco Bollis)

O combo de sonho e oportunidade incluía ainda proprietários estetas, de gosto apurado e fortemente ligados às artes. Ou seja: o belo e o respeito à natureza permearam as conversas da família de clientes e do profissional desde o início, numa sintonia sensível que durou praticamente dois anos – prazo de desenho e obra. Valendo-se de seu vocabulário preciso, Fernando explica que os aspectos telúricos, quase mágicos, de Ibiza determinaram muito do traçado da residência – como se a geografia local por si só fizesse exigências. A cor branca, típica das moradas camponesas nos arredores, talvez seja o item de reconhecimento mais imediato. Afinal, a cidade glamorosa e notívaga que tantos turistas atrai durante o verão europeu é cercada de escarpas e cenários estonteantes, onde as edificações são singelas e a vida corre em ritmo desacelerado.

Veja também

Mas não era só. A sabedoria popular contida nas construções da pequena isla ensinou também que o norte traz ventos fortes. Daí uma das fachadas surgir quase cega. Toda a luz entra pela face sul, inteiramente aberta para o Mediterrâneo. Bebem desse horizonte azul as sete suítes. Foi um pedido da família que cada quarto tivesse seu próprio banheiro e uma vista de tirar o fôlego – dois itens importantes em um endereço pensado para quem busca dias de férias paradisíacas.

Mais do que transparentes, as janelas parecem inexistentes. Mérito dos enormes panos de vidro (6 m de comprimento), em caixilhos de alumínio com perfis extremamente delgados e anodizados no tom corten. Para arrematar, as esquadrias envelopam a construção por fora, sem coincidir com os pilares (Francesco Bollis/Francesco Bollis)

Materiais naturais se encaixaram com total pertinência nos planos. Madeira, bambu e pedra foram privilegiados, embora proprietários e arquiteto buscassem encontrar  justa medida entre a referência vernacular e as soluções mais tecnológicas empregadas (pilares e vigas metálicas cumprem seu papel hig-tech com discrição, escondidos sob as paredes, e um piso de microcimento branco oferece altíssima performance e a atmosfera desejada).

A pérgola esconde um segredo: vigas metálicas garantem a sustentação da madeira de demolição. Aqui e ali, aberturas envidraçadas retangulares deixam o sol passar. No fundo, brises de bambu tratado servem de anteparo ao vento – essa mesma linguagem se repete dentro da casa. (Francesco Bollis/Francesco Bollis)

Quando a casa ficou pronta, pensou-se em uma seleção de espécies autóctones para o entorno. Pouco a pouco, ciprestes e oliveiras vão ocupando os espaços e vicejando ali – alguns crescem ao sabor do vento. “Uma vez alcançada a plenitude de crescimento, transformarão para melhor a arquitetura”, arremata Fernando, acreditando ser possível incrementar o que já começou bem.

O mesmo piso dos interiores atravessa a área externa e cobre a piscina de borda infinita. Nesta fachada, o pórtico de madeira – comum em casas antigas de Ibiza – reaparece como um discreto anteparo para o sol, hóspede o ano inteiro. Os pilares são metálicos, apenas revestidos de madeira. (Francesco Bollis/Francesco Bollis)

Veja mais fotos na galeria abaixo:

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s