Materiais de fácil aplicação renovaram esses 8 ambientes sem quebra-quebra

Piso sobre piso, laminados e painéis autoadesivos, sistemas para embutir portas de correr e outras opções tornaram essas reformas mais eficientes e rápidas

NATA FINA DE CIMENTO

 (Marco Antonio/Divulgação)

Neste apartamento de 70 m², o revestimento cimentício veste o piso e parte do teto – a aplicação é possível porque o material (Cement Decor, da Eurodecor), aditivado com resina composta catalisável, adere a qualquer superfície: mármore, granito, MDF, reboco, cerâmica, drywall, contrapiso… E como fica com 3 a 5 mm de espessura, não é preciso ajustar o nível das portas, por exemplo. No projeto do arquiteto Pedro Bazani, a paleta sóbria ajuda a destacar o neon vermelho existente.

 

 

TRUQUE DE COR

 (Mariana Orsi/Divulgação)

Antes da mudança, a marcenaria branca desta cozinha de 22 m² pedia um toque de graça. “Cobrimos os armários e a torre de eletrodomésticos com o adesivo vinílico azul (Tipografia Visual), alternativa rápida para transformar o mobiliário com um custo baixo e sem desperdício de material”, diz a arquiteta Ana Paula Briza, que assina o projeto com Fernanda Takadachi, ambas do Triarq Studio. O tom criou um jogo vibrante com a ilha de Silestone vermelho (ref. Eros Stellar, da Cosentino).

 

 

INTEGRAÇÃO OPCIONAL

 (Evelyn Müller/Divulgação)

Alugado, este imóvel de 146 m² ganhou uma estrutura com três portas do tipo painel (2,20 x 2,40 m cada uma): elas mesclam freijó e vidro e dispensam trilho no piso, agora inteiramente nivelado. “O morador queria abrir a varanda, mas com a possibilidade de isolá-la quando preciso”, explica a arquiteta Ana Yoshida, encarregada de modificar os espaços. “Parte do trilho superior está fixado sob a viga e parte no rebaixo de madeira criado para resolver a diferença de pé-direito entre as áreas”, explica. Execução da Marcenaria Benele.

Veja também

 

PARA SETORIZAR

 (Marco Antonio/Divulgação)

A fim de melhorar a distribuição no ambiente de 69 m² com estar, jantar e home theater integrados, a arquiteta Patricia Martinez elaborou este anteparo de 2,55 x 3 m com brises. “Ele diminui a profundidade da sala, dá privacidade e aquece visualmente o espaço, todo revestido de Dekton”, explica ela. A divisória com lâminas de peroba (Cose Di Legno) é fixada nas estruturas do quadro de aço polido. “Dessa forma, conseguimos diminuir a quantidade de furos no piso e no na laje”, complementa a arquiteta.

 

RENOVADO

 (Fran Parente/Divulgação)

Uma dupla de pedras naturais reveste boa parte deste banheiro de 12,3 m² assinado pela arquiteta Consuelo Jorge. “O mármore branco thassos aparece nas paredes e na bancada enquanto a divisória de 1,35 x 2,92 m que oculta o boxe recebe o nero portoro”, conta a profissional. Ela optou por placas polidas (Pérola Mármores) não só pela beleza mas pela fácil manutenção. Outras boas soluções são a banheira (Doka), que dispensa estrutura de alvenaria, e o assoalho de cumaru (RB Pisos de Madeira).

Veja também

INSPIRAÇÃO INDUSTRIAL

 (JP Image/Divulgação)

O quarto deste loft de 85 m² na capital paulista apresentava superfícies de concreto e tijolos aparentes, então a solução foi adaptar a iluminação com eletrodutos expostos (Power Shop). “Eles eliminam a necessidade de rasgar a parede para embutir fios e cabos elétricos. Basta traçar o caminho da tubulação e instalar”, explica a arquiteta Carina Korman, que organizou o ambiente com o desenho da marcenaria. “A cabeceira de MDF apoia o gaveteiro suspenso e a cama tem espaço para gavetões”, completa.

ENTRE ANTIGO E NOVO

 (Maíra Acayaba/Divulgação)

Durante a reforma desta casa de 120 m² em São Paulo, alguns revestimentos existentes foram preservados e evidenciados, como o piso de madeira, restaurado, e a parede de tijolos. “As cavas esculpidas para a passagem das antigas instalações ficaram expostas, enquanto a nova eletricidade caminha por dutos galvanizados”, explica o arquiteto Lula Gouveia, do SuperLimão Studio. Note que os eletrodutos fixam-se na estrutura metálica que substituiu o antigo telhado, agora composto de painéis impermeabilizados.

Veja também

PAREDE BEM-VESTIDA

 (Renato Navarro/Divulgação)

Para conferir atmosfera aconchegante ao estar de 24 m², a designer de interiores Tássia Pereira, do escritório TT Interiores, apostou na parede de tijolinhos conquistada com o assentamento das placas de argila de 0,1 x 7 x 23 cm (linha Terracota, da Portobello) com junta seca, sem rejunte aparente. “As peças têm aparência rústica e são simples de instalar”, diz. O revestimento combina com o espelho bronze de 1,8 x 2,2 m (Vidraçaria Guarulhense) e o rodapé branco de 20 cm de altura (Santa Luzia).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s