Refúgio com estilo de fazenda aposta em materiais simples

Livres de qualquer ostentação, os proprietários imaginaram acolher família e amigos nesta casa ampla e térrea, em plena serra fluminense

A configuração do terreno de 17 mil metros quadrados, praticamente plano, cercado por mata nativa e comum riacho sinuoso acompanhando seus limites, é considerada uma raridade na região montanhosa de Araras, na serra fluminense.

Tingida de branco e com cobertura de telhas cerâmicas, a edificação – singela – revela os quartos com portas duplas protegidas por toldos. (Divulgação/André Nazareth)

Com tanto espaço aberto e uma moldura verde assegurando total privacidade em relação aos vizinhos, a designer de interiores Lucilla Pessoa de Queiroz (com a arquiteta Luciana Rubim na concepção inicial) imaginou uma casa sem altos e baixos, com direito à varanda generosa e portas largas e transparentes, ideais para levar muita luz a um interior aconchegante.

Com 4,15 m de largura, a varanda funciona como uma sala de estar arejada, cercada pelo jardim e sustentada por pilares (32 x 42 cm) revestidos de lâminas de cumaru. O tom da madeira sobressai em meio ao piso e ao teto, mais claros. (Divulgação/André Nazareth)

Os proprietários, um paranaense e uma pernambucana, adoram receber de forma simples e relaxada os muitos amigos e a família, e faziam questão de que as raízes brasileiras que tanto prezam saíssem refletidas na estética da fachada e na escolha de materiais.

“Optamos por um jogo tradicional de águas, com telhas coloniais do tipo canal, piso cimentado feito na obra, paredes brancas… Também decidimos forrar os pilares externos com cumaru, para um toque quente e rústico”, conta Lucilla. “O estilo é típico de uma casa de fazenda, mas com detalhes bacanas e confortos da vida moderna”, resume.

Repare como a viga de concreto, pincelada de branco, pouco aparece. Não configura um obstáculo visual nem mesmo à continuidade do forro, que se prolonga pelo beiral. (Divulgação)

Ela cuidou também de toda a decoração e fez nascer ali uma estante de peroba-do-campo maciça, lotada de livros e objetos, junto à parede da lareira. Pensando em fortalecer a integração com a área externa, todos os quartos ganharam portas para o gramado e alguns ficam voltados ao pavilhão de lazer – onde linhas retas e um certo ar contemporâneo asseguram discreto contraste.

No estar, a parede da lareira foi recoberta com nata de cimento. A ligação com a varanda privilegia vãos largos e transparências por meio das esquadrias de peroba-mica (Carpintaria e Marcenaria GS), com painéis de correr. (Divulgação/André Nazareth)

Endereço de churrasqueira, forno de pizza, academia, sauna e piscina, o anexo convoca à circulação e ao desfrute da bela vista. “Há um caminho natural pelo terreno, pontuado com placas de granito. Tudo se comunica, resguardada a intimidade de todos, permitindo que as galinhas cisquem à vontade, por todos os lados”, arremata Lucilla.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s