Criação de pátio interno trouxe luz ao sobrado

Uma reforma radical transformou esta residência paulistana, antes escura e compartimentada, numa morada clara e integrada. Cercada de jardins, ela ganhou ainda mais vida entre as texturas de madeira, pedra e concreto

Uma casa gostosa de morar e integrada, com área externa para receber os amigos, uma cozinha agradável onde a proprietária pudesse desfrutar de seu hobby em meio a ingredientes e panelas, além de quatro quartos e… ah, não menos importante: um telhado bem tradicional. Em meio a tantos desejos, reformar o imóvel adquirido pelo casal com dois filhos num bairro nobre da capital paulista parecia mesmo assunto urgente. Apesar da boa localização, a excessiva compartimentação e a área de serviço grande demais, aspectos costumeiros em residências antigas como esta, pediam atualização. A princípio pequena na imaginação dos moradores, a mudança tomou proporções reais – bem maiores – na prancheta dos arquitetos Fernanda Neiva e Gil Mello, sócios no escritório Galeria Arquitetos. “Reaproveitar a estrutura existente era uma premissa, pois não fazia sentido pensar numa fundação nova no terreno com características de várzea”, explica Fernanda.

Aos olhos dos profissionais, outro problema chamava a atenção: a falta de luz na parte central do térreo. “O quintal antigo, situado onde agora fica a lavanderia, era um local escuro e úmido, espremido entre o muro de 6 m do vizinho e a velha edícula.” Transferido para o lado desse paredão, o anexo de serviços deu lugar à área de lazer, banhada pela luz da manhã. Além disso, criou-se um pátio interno, inundando de claridade o meio da planta. “O pavimento de cima já possuía o recorte. Só removemos a laje, o que permitiu que a luminosidade chegasse ao andar de baixo.”

Redesenhada e aberta por esse novo vão, que parece se prolongar até a sala de estar, a entrada tornou-se um convite a quem chega. Mesmo no interior, o verde dos jardins ao redor da construção apresenta-se através das janelas e portas de vidro generosas. A visão é proporcionada em parte também pela mudança do sentido da escada metálica vazada, pintada de verde. Lá em cima, a distribuição dos cômodos foi refeita. Ao migrar para os fundos, o quarto do casal encontrou espaço suficiente para virar uma suíte com closet. Na frente, olhando para a rua, instalaram-se dois novos dormitórios onde antes havia apenas um.

E o telhado? Ao projeto apresentado pelos arquitetos, só houve um pedido de alteração dos clientes. “O desenho sugeria uma cobertura reta, mas eu fazia questão dele”, revela a moradora. Pronto, lá está agora a armação de quatro águas valorizada pelo esmerado beiral de cumaru.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s