Casa tem tijolos aparentes e estrutura metálica

Pensado e construído por um time de profissionais que inclui o irmão e o pai do proprietário, o sobrado saiu na medida dos moradores: um pouco caloroso, um pouco ousado, muito caprichado

Tempos atrás, comprei dois lotes na cidade onde moramos, Itapeva, SP, pensando em construir. O plano era distante. Até começarem a aparecer ofertas tentadoras (estava cada vez mais raro achar uma área tão grande no local). Acabei vendendo. Com o dinheiro, arrematei um outro terreno, de 360 m², no mesmo condomínio fechado, e me capitalizei para enfim encarar a obra. Foi aí que as conversas com o meu irmão, um dos sócios do escritório paulistano Coa Associados [integrado por Gabriel Cesar, Cassio Oba Osanai e Eugenio Amodio Conte], foram parar no papel. Minha mulher e eu sabíamos do jeitão dos nossos arquitetos, mais contemporâneo, enquanto preferimos algo clássico, rústico até. E, incrivelmente, não foi difícil conciliar os estilos. Eles nos escutaram com atenção e já no primeiro estudo trouxeram uma solução mesclando tijolos aparentes e estrutura metálica. Gostamos na hora, imaginando que seria funcional e aconchegante.

Destacamos a importância de um ambiente de estar amplo, janelas grandes e espaços de lazer bons de usar tanto no inverno quanto no verão. Assim surgiu a sala integrada à cozinha por um balcão de concreto e que também se conecta com a churrasqueira e a piscina nos fundos do sobrado quando está tudo aberto. Oscilamos entre manter apenas a cozinha principal e dispensar essa outra, de apoio, mas, por gostar muito de cozinhar e receber os amigos, preferimos assim. 

Imagino que a liberdade de falar abertamente com o meu irmão contribuiu para o projeto que acertou ‘em cheio’, mas o Gabriel não foi o único interlocutor: alguns aspectos eu discutia com ele; outros, com os demais sócios. 

A outra etapa importante da história se deu com a chegada do meu pai. Depois de se aposentar, ele virou um construtor de moradias populares na região – e topou erguer a nossa. Indispensável contribuição. Trouxe uma equipe ótima, visitava o canteiro diariamente, fiscalizava tudo. A parceria dele com os arquitetos foi perfeita: juntos, descobriram fornecedores excelentes nos arredores, a quem ensinavam a fazer rigorosamente o solicitado – você sabe, o repertório de muitos não incluía soluções moderninhas.

Mesmo assim, levamos dois anos e meio na empreitada, o possível para as finanças da família. No fim, ainda me deixei seduzir por acabamentos caprichados e ultrapassei em 30% o estimado. Nada de arrependimentos, vi como ficou melhor assim. Com suas linhas retas, a construção ainda hoje destoa do entorno. Positivamente, acho, só ouvi elogios. A festa de final de ano reuniu a todos confortavelmente, mesmo no calorão, e estamos planejando outros encontros agora que o frio chegou. Já deu para notar como é quentinho aqui dentro.

Rodrigo Cesar Santos, morador

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s