Casa privilegia área livre

Com traços limpos e retos, esta residência flerta com o estilo minimalista. Seu maior feito? Equilibrar volumes marcantes e ambientes propícios ao lazer, sempre ao lado do jardim

Ao mesmo tempo perto e longe do mar – a distância até a praia é de 400 m –, a construção em Florianópolis propõe um jeito franco e despojado de relaxar em família ao integrar salas de estar, jantar, cozinha, terraço e até o jardim. “Havia um desejo especial dos proprietários de deixar a maior área livre possível e planejar ambientes sociais amplos e unidos também com a parte externa”, diz o arquiteto Giovani Bonetti, sócio do escritório MarchettiBonetti+, responsável pela edificação de 516 m² no norte da ilha catarinense. Sendo assim, os planos começaram pela implantação que dispõe a casa quase inteira numa das laterais do terreno, deixando apenas a grande varanda saliente no lado oposto, na forma de um L. “A proposta de justapor e conectar todos os espaços de convivência no térreo ainda eliminou a necessidade de um corredor ali”, conta o profissional, a respeito dessa medida que significou ganho na metragem útil.

De intenção minimalista, o projeto demonstra leveza – tanto no plano vertical como no horizontal –, apesar dos volumes robustos, feitos de alvenaria e concreto. Basta notar a fachada da frente, onde o bloco do pavimento superior se apoia num par de pilotis longilíneos. Além dessa referência à arquitetura moderna brasileira, a construção inclui outras, marca registrada dos trabalhos assinados pelo escritório de Giovani, muito conhecido na região. É assim que integram o conjunto as esquadrias de alumínio com brises de madeira ripada e o acabamento de massa cimentícia aplicado nas paredes de dentro e de fora, reverência ao concreto aparente. Tudo sem muito adorno, mas com destaque. “Nossa casa é bastante pragmática, simples”, afirma Alice, que vive há dois anos no endereço com o marido, Fernando, e os filhos, Laura e Felipe. 

O casal de empresários se envolveu bastante na escolha dos acabamentos, sobretudo na compra do piso de canela de demolição presente em praticamente todos os ambientes. “Demoramos oito meses para juntar a quantidade necessária de material”, conta a moradora, que ainda destaca a sua paixão pessoal pelo jardim, elaborado especialmente pela amiga e arquiteta Juliana Castro, do JA8 Arquitetura e Paisagem. Sem pesar no visual nem em dimensionamentos desnecessários, a casa se traduz de forma sucinta, espaçosa e plena.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s